E o tal do #KoKoFlop nem é tão ruim assim

7/18/2017 0 Comments A+ a-

exo kokobop lay sehun xiumin kris baekhyun

E aí que hoje eu acordei bem tarde, almocei e já tive de me aprontar pra viajar, afinal, férias. Com isso, nem me passou pela cabeça o comeback do EXO, visto que não é um grupo que tenho grande apego.

Foi só quando cheguei na condução dos pobres, o ônibus, que comecei a ver toda a repercussão que Ko Ko Bop estava tendo. Falo, você já deve saber, do #KoKoFlop, tag que subiu no twitter para boicotar o single, parecido com o que fazem com o Twice, supostamente transvestidos de Armys para gerar uma guerra entre fandoms. Naturalmente que vários caíram e o circo foi divertido de se assistir, mas não adiantou nada - e acreditaram que iria? -, pois o álbum só em pré já vendeu uma 800 mil cópias e os charts estão dominados.

No fim, só serviu pra botarem culpa até nos gg stans, como eu, que só davam risada de tudo:


Assim, eu fui pra Ko Ko Bop (que diabos significa isso?) com expectativa negativa:


E quer saber? Não sei o que vocês tão reclamando tanto. Na primeira escutada até estranhei bastante, mas não de achar uma catástrofe, e sim o estilo pouco usual da faixa. Em casa pude ouvir e assistir o MV com mais calma e enxerguei mais qualidade na música, qualidade que até a deve valer alguns dias na playlist.

Não entendo como podem criticar tanto isso e gostarem de Lotto, que mais parece cantada pelos Transformers desempregados. Ko Ko Bop já teve material promocional duvidoso, que virou piada interna a todos, menos a fanbase, obviamente, que se derreteu pelos meninos. Não tinha motivo para alguém não EXOtic se empertigar de ansiedade.

Pra mim, Ko Ko Bop é competente em ser uma farofa simples, despretensiosa e até digna de replays. Mesmo aderindo ao Reggae, que é tradicionalmente abordado num good vibes, a SM manteve o try hard característico do grupo, com estes visuais toscos, como o do Kaiba, a tal da apropriação cultural em pleno 2017 (você quer, BigBang?) e o ex da Tae, homenageando o Xororó. Vocês realmente acharam bonito, EXOtics? Ok.

Não darei muitas views ao MV, mas novamente, a música é agradável. Eu me percebi um apreciador destes drops eletrônicos há algum tempo, principalmente pela discografia do Monsta, que se salva nisso, basicamente. E em Ko Ko Bop ela dá todo o toque diferencial. E o fato dela não ser o refrão todo e sim acompanhamento (o hook começa ali nos Down Down Baby), ajuda a evitar um excesso de repetição.

Ainda não barra Call Me Baby como minha favorita deles. Entretanto, nada do desaste pintado por aí. Tem coisa muito pior no mercado.
  GIF

Você gosta do conteúdo do Delírios? Não deixe de curtir a página no Facebook.