Em paz, T-ara tem comeback límpido que inaugura ou encerra uma era.

6/14/2017 0 Comments A+ a-


Sem Soyeon, Boram e um fardo de ódio e culpa nas costas, o T-ara teve o que pode ser seu primeiro comeback como quarteto ou o último com o lendário nome do grupo, dependendo do que farão as remanescentes ao término de seu contrato, pelo final do ano.

Focando no momento, vejam o vídeo crise econômica de "What's My Name?".

MBK entra na disputa com a Banana Culture para o prêmio de pior resolução de Thumbs do Youtube. Francamente...

Bem, para quem ainda não acompanhava o blog è época de TIAMO, que fique claro: eu já fui muito fã do T-ara entre 2010 e 2013. Bastante mesmo. Era uma pseudo-rainha. Só que aí veio o escândalo e um decréscimo concomitante de popularidade e qualidade dos singles; Sugar Free é mediana, So Crazy chata e TIAMO Apink. Sorte que Eunjung sempre foi um ímã de Carlos.

Para este canto do cisne ou rejuvenescer, a imagem segue quase intacta. As visuais e principais chamarizes continuam ali. Com certeza a MBK pensou nisso malignamente quando engendrou os contratos em tempos diferentes - ou é apenas desorganização. Boram e Soyeon sempre foram os patinhos feios e obscuros, admiradas por hipsters. Pra mim não há dúvida de que Hyomin é a mais atraente em físico e Eunjung em face, esta uma das melhores do Kpop.

Vocalmente há uma grande perda? Teoricamente há, pois Soyeon sempre foi uma espécie de Yuna do T-ara; vocal privilegiado mas sem uma estética que a equipare no tempo em tela. A voz está lá, mas o vídeo nos mostra outras meninas - ou outras partes que não o rosto. Ao menos rolaram algumas referências/homenagens em cenas com garrafas, cadeiras e canetas.

Mas duvido que após passados os minutos de "Whats My Name?" algum de vocês tenha realmente lamentado os vocais e a ausência de Soyeon artisticamente. É todo um trabalho minucioso da empresa que não nos faz relacionar a ex-integrante com a quantia de tempo em que ouvimos sua voz. Beleza ainda é o principal produto na indústria do entretenimento.

E "Whats My Name?" também não é exigente a ponto de notarmos uma discrepância com canções anteriores, bombas ou arrombas. O que falta, como tem sido nos últimos anos, é uma beat mais provocativa e extasiante. Talvez elas tenham assumido novas facetas com a maturidade, mas não tem funcionado tão bem quanto seu passado pomposo.

No post do Asian Junkie, foi dito que o single cresce com o tempo. Comigo, ainda não aconteceu, e sinceramente, não pretendo dar mais tantas oportunidades para isso. Talvez quando for ouvir o álbum seja a última chance. No momento, há mais músicas que merecem atenção. Só no K-pop, por exemplo, Chungha, GD, Suran e Bolbbalgan4, sem pensar muito.

Fico contente que elas tenham sido "absolvidas", por mais óbvio que fosse sua inocência. Mas não nutro mais o carinho que gostaria pelo ato T-ara. Espero que continuem juntas, pois só assim a possibilidade de um novo hino segue cabível. Se for como T-ara ou fora da empresa, tanto faz.
Use escova de cerdas macias e retilíneas. em movimentos rotatórios suaves. 
Você gosta do conteúdo do Delírios? Não deixe de curtir a página no Facebook e nos apoiar para a produção de novos materiais.