É agora, Pledis? Wee Woo é (extremamente) boba e divertida.

3/21/2017 0 Comments A+ a-


Aleluia um novo single para comentar aqui no Blog. Mais de uma semana enrolando vocês com pautas xaropes. Mas agora o Kpop tá de volta e com tudo. Teremos muitas coisas nos próximos dias, e a primeira delas é da Pledis, uma das empresas mais estúpidas ao Sul do paralelo 38.

Confira aí:


A maioria das gurias já havia trabalhado juntas ano passado, na medonha "We". E agora, com o acréscimo das famosíssimas do IOI - Pinky (a Best Girl agora chamada de Kyulkyung) e Nayoung (a cara de castor) -. debutam oficialmente para tentar nos esquecer da imagem negativa plantada 8 meses atrás.

E não é que funcionou relativamente bem? Sempre é bom manter-se hesitante quando o assunto é da Pledis. Depois de After School/Orange Caramel, não confio mais nos caras. Gerenciamento em um nível onde chamá-lo de péssimo seria uma ofensa aos péssimos. 

Mas, se o Seventeen tem conseguido algum sucesso sob as mãos da dita cuja, o Pristin surge com a possibilidade de um novo erguer para a empresa. O burburinho pré-debut foi considerável, e o planejamento foi incrivelmente inteligente. Conservou algum mistério e criou expectativa através de seus covers e, é claro, os supracitados nomes de duas das principais membros do IOI. E é claro que elas duas são as primeiras filmadas em Wee Woo.

O grande acerto da Pledis, babem, foi não ser original. Wee Woo é um amálgama do que tem funcionado em outros grupos, principalmente novatos. Um pouco do próprio IOI (olhe as cores e veja Very Very Very) e muito Twice, o que tem gerado bastante discussão e milhares de dislikes, o que é besteira. Não é plágio, é inspiração. Uma maneira inteligente e dinâmica de explorar o maior número possível de garotas e tentar extrair o máximo do carisma delas, ainda que não funcione tão bem assim - eu só consigo lembrar mesmo das já conhecidas, mas talvez por gostar mais delas e já ter uma relação prévia.

Wee Woo tem muito de Ooh-Ahh e Cheer Up, inclusive nos movimentos de câmera, ao iniciar cenas com um close que vai diminuindo lentamente ou o contrário, mais os quadros coreográficos e em corredores e as divisão conceitual. 

Já a música é outra tendência firme de girlgroups semi-rookies de hoje em dia: enérgico, vibrante e doce. Os engravatados descobriram como construir uma imagem pura nas meninas sem tornar a experiência aguada e monótona, conceito aprendido após tantos tropeços em 2016 (Apink, gugudan, Pledis Girlz, IBI e até Hello Venus).

O ponto fraco é justamente a letra. Se você não tem curiosidade, até sugiro não lê-la. É uma bestice inacreditável e bem sugestiva. Há uma parte onde lemos "I Like You Bubu" (????). Até mesmo no mundo capope, onde vemos letras inacreditáveis a rodo, ela consegue se destacar negativamente.

No entanto, quem quer se divertir, recebe uma opção promissora e pulsante no Pristin. As gurias parecem talentosas e versáteis (o rap ficou maravilhoso e o mini está flexível e competente). 

Será que agora vai, Pledis?
Eu que fiz dois dos gifs. De olho na ladroagem.

Você gosta do conteúdo do Delírios? Não deixe de curtir a página no Facebook e nos apoiar para a produção de novos materiais.