Dream desova mais um descendente intragável. E Somi é parte dele.

3/09/2017 0 Comments A+ a-


Eric Nam é um saco. Me perdoem, mas o cara é um saco tremendo. Muito chato. Cruzes. Há uma difusão generalizada na Coreia - e talvez aqui? - de exaltar a voz de cantores de R&B e midtempos, uma pedantismo sem tamanho que pretende estabelecer uma divisão entre o que seria música de verdade e música idol e teen.

Não é à toa que 90% dos projetos solos iniciam com canções melosas e cândidas, via de regra bem divergentes do que os respectivos grupos entregam.

Pode dar certo. Funcionou com Seohyun e Eunji, recentemente. Mas o que dá de errado não é brincadeira. E quando resolvem meter um dueto entre os sexos, Mel Dels, abram-se as portas do marasmo criativo. É só PBR&B mela cueca, xarope e ilusoriamente elegante.

Mas os Korebas compram. Dream, o sonífero fatalístico que Suzy e Baekhyun entregaram ano passado, vendeu e venceu horrores. Logo, seus filhotes não tardaram a aparecer. Só neste inicio de ano, penso em Baekhyun e Soyou, Suzy e outro mano desinteressante, Seohyun e o próprio Eric Nam.

Agora, o Nam revolveu atacar novamente, e sua parceira na tentativa de criar um ship que entretece o público é ninguém menos que Somi, a bala perdida da JYP, que ninguém realmente sabe o que vai acontecer após o IOI.


Por favor. Parem com isso. Aveludar o timbre e controlar a tessitura para transmitir uma sensação relaxante e romântica é uma coisa, nos matar de tédio é outra. Há uma clara diferença, também, entre a simplicidade inteligente e a simplicidade insuficiente. Heis o caso. Se você disser que algo aqui lhe marcou, está mentindo ou afetado por biaísmo.

Se podemos tirar uma conclusão, é como Somi precisa arranjar trabalhos. A garota é um desses raros seres que nasceram para o sucesso. Ela brilha, atrai e chama atenção. Sonoramente, possui um tom distinto e, goste ou não, completamente identificável. Como sua compleição difere-se do Coreano comum, fica fácil associar e memorizar voz com rosto. Como ainda é abençoada com beleza e carisma, além de um nome de fácil decoração, a identidade SOMI impregna-se no cérebro de modo con ou inconscientemente. 

Não em vão que sua ausência no Twice foi a mais sentida ao fim do Sixteen, e sua presença no IOI a mais marcante e lembrada. Várias garotas saíram dali com fanbases, mas nenhum tão grande quanto a Canadian-Korean.

JYP precisa urgentemente arranjar algo decente para ela fazer, pois o potencial monetário é enorme. Só, imploro, não mais nestes duetos insuportáveis.

Versão em vídeo:


Você gosta do conteúdo do Delírios? Não deixe de curtir a página no Facebook e nos apoiar para a produção de novos materiais.