Pacotão das Esnobadas (ou Frenético) do K-pop #09 - Minha nossa, quanta coisa.

2/21/2017 0 Comments A+ a-


Saudades pacotões. Este ano, não estava me sentindo muito motivado ou interessado em compilar faixas que não mereceram ou passaram despercebidas para posts solo, e até por isso deixei de debater sobre alguns lançamentos de renome e qualidade, além de deixar alguns pedidos de leitores no porão.

Como a consciência pesa e vocês são, afinal, o combustível para meus neurônios e dedos entrarem uma simbiose voluntária, resolvi juntar alguns MVs para montar o nono pacote aleatório do capope. 

Ordem de preferência crescente. Voilà:

Soyou e ex da Tae Baekhyun - Chuva



Às vezes, você lê os nomes dos artistas e tem uma ideia do que virá. Pela thumbnail, você tem quase certeza do que virá. Você não gosta do que pensa que virá. Ainda assim, você dá play. Você confirma que sabia o que era. Você não gosta. E a Suzy ainda vai fazer Dream 2 2.0 com outro cara por aí. 

Solar - Sad Happy People


Solar, pobrezinha. Hoje é aniversário dela e de presente ganhou essa trilhazinha obsoleta do princípio errôneo dos korebas de (quase) sempre interligar vocais potentes com baladinhas. Já sabemos o potencial da guria, e até mesmo em Honey Bee, ele foi melhor utilizado. Arranhar a garganta com high notes intermináveis no terço final da faixa não muda em nada isso, apenas quebra o ritmo para os que por acaso se conectaram com a introspecção silente do início. 

BTS - Not Today


Já disse trocentas vezes sobre a dicotomia conceitual do BTS e como detesto seu lado genérico, vide Fire, Dope e Boy In Luv. Not Today ganha dos antecessores na produção do MV, contribuído pelo grande rendimento financeiro dos rapazes, mas a música é a repetição de fórmula, gestos e idiossincrasias de mano que muito raramente colam comigo. 

Melody Day - Beijo nos Lábios


É disparadamente o melhor produto da curta e até aqui inexpressiva discografia do Melody, e até por isso não significa muita coisa. Visualmente, ela soa deslocada em meio ao inverno do leste-asiático, mas a sonoridade mais tenta ser um reggae do que realmente é. A intro e os versos iniciais dão essa ideia, mas conforme aproxima-se do refrão e daí em diante, ela perde sua conspicuidade ao seguir o caminho fácil e deprimente de um Pop açucarado e comum. E isso elas definitivamente não fazem direito, além de deixar a impressão de se tratar de uma canção incompleta. 

E pra piorar, algo que nem é culpa delas, mas se torna inevitável, é que os Ringa Linga aí me lembram o Taeyang. E não gosto de lembrar do Taeyang. Quanto mais no já melancólico período que antecede o início do semestre da faculdade. Bola fora. 

Sonani - Honey Bee


Bang Bang Korean Version com 2 anos de atraso. Mas a gente gosta mesmo assim  por causa das 3 pessoas envolvidas - que, apesar de não gritarem como a Jessie, são bem mais atraentes. 

IU

E o novo single da IU, curtiram?



AAAAAH. Espero ter enganado vocês. Eu gosto bastante da IU. Minha solista coreana favorita em atividade. Escuto alguma coisa dela diariamente, e como deve vir comeback em breve, resolvi postar um release pouco conhecido pra fazer promoção e testar a pegadinha.

B.I.G - 1.2.3


E quem diria que o grande vencedor do pacotão seria um boygroyp Nuguzaçoaçaoaçaoaço. Obrigado a quem me enviou isto pelo curious cat. 

1.2.3 tem uma vibe descontraída e brincalhona, o que o Block B falhou em fazer em Yesterday, mas com uma intensidade vocálica, alguns elementos notáveis e simples (Oh Oh Oooh) e uma batidinha elétrica e estimulante evocativa de Disco Funk que torna difícil não se animar enquanto a ouvimos. Lembra bastante o último - e bom - comeback do Snuper. 

Me sinto quase culpado de não conhecê-los, sendo que estão no batente desde 2014, mas depois dessa, não apenas irei me atualizar em seu catálogo, como colocá-los no radar para o futuro.

Bônus:



Esse fetiche Otaku rockish do intitulado Polkadot Stingray é demais.


E não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.