Com Rookie, Red Velvet Tem Um dos Comebacks Mais Esquisitos Que Já Presenciei.

1/31/2017 0 Comments A+ a-


2016 foi um ano confuso pro Veludo Vermelho. Se 2015 serviu pra afirmá-las entre os principais e mais proeminentes atos da atualidade, 2016 arrefeceu o ritmo com a insossa OOTN e Russian Roulette - que é ótima, mas muitos de vocês parecem não ter curtido porque têm gosto ruim (há).

E nesse velho debate da negligência com que a SM trata as gurias, resolveram dar um novo comeback pras meninas menos de 5 meses após o último release, Ninguém esperava. Isso é bacana, pois mostra que querem fazer elas funcionar - ou será só uma desculpa para galponá-las até o final do ano???

De qualquer forma, Rookie chegou, e entre as variadas discussões possíveis, acho que se destaca a seguinte: ou a SM não tem a mínima ideia do que está fazendo, ou está fazendo tudo sem uma ideia. Qual a diferença? Reflitam. 



WTF is that? A divulgação pra Rookie foi bem alternativa e já dava a entender que viria algo criativo por aí, o que já faz parte da essência camaleônica e inventiva das garotas. Mas mesmo assim, WTF is that?!

É uma mistureba conceitual demasiada para absorver rapidamente, até para alguém que já nos entregou Dumb Dumb. A SM basicamente matou a dicotomia dos lados do RV, mas isso não esvaiu o espírito creepy e esquizofrênico do ato. Rookie é visualmente como um sucessor natural de Russian Roulette, colorido e com transições divertidas entre quadros que tornam a experiência transitória entre cenários bem sinestésica conforme as meninas abrem portas e adentram universos introspectivos em sua mente - ai se justificam as comparações prévias com Alice in Wonderland e até Nárnia, mas sempre com uma dose weird, como o maluco que ainda não superou Floribela e anda cosplayzado de um buquê.
irene bae joohyun red velvet rookie gif

Porém, o epítopo da estranhice é mesmo a música, o que é um grande feito com o vídeo que o acompanha. Mel Dels. Já é marca do quinteto englobar vários ritmos para compor um só, principalmente com Funk e Hip-Hop, até por isto o Synth mais singelo e vintage de Russian Roulette soou inesperado, mas Rookie vai além de qualquer single passado; vai além do K-pop em si. O nível de surrealismo é digno de uma Kyary Pamyu Pamyu.

Abrir com Irene é um engodo para me envolver de imediato, mas nem mesmo a beleza da líder consegue me distrair de tantos elementos contrastastes dentro de um só: dos já mencionados funk e hip-hop, até uma backing track de sintetizadores mais íntima e relaxante que evoca a onda vaporwave - retrô again - ao refrão repetitivo e grudento, mas com certeza diferente de quase tudo que o K-pop já lançou por aí. "Pra frente de seus tempos", dizia um comentarista no Youtube. Acho que é demais. Porém, definitivamente, não tem como reclamar de estagnação delas, e talvez essa ousadia seja, também, a cruz do grupo, pois a identidade volátil e a experimentação têm afastado muito do público que as tinha aceitado com o sucesso de dois anos atrás.
irene bae joohyun red velvet rookie gif

Essa divisão afasta cada vez mais o Red Velvet do primeiro escalão do K-pop. De acordo com quem vê, novamente, pode ser uma afirmação boa, pois significa que elas fogem da tendência e do comum, mas também não conseguem se consolidar. E como falamos de uma indústria capitalista, isto pode ser um problema. Particularmente, eu tenho curtido bastante essa constante metamorfose - com exceção de OOTN -, só espero que não seja o suficiente para prejudicar sua imagem a ponto da SM jogá-las no limbo, pois após 3 anos do debut, um grupo costuma estar estabelecido e com fanbase fiel no cenário. É o preço que elas pagarão pelo caminho escolhido - ao menos até aqui.

Extra: alguns Gifs da Irene. O resto vocês se virem pra achar.
irene bae joohyun red velvet rookie gif

irene bae joohyun red velvet rookie gif

irene bae joohyun red velvet rookie gif

irene bae joohyun red velvet rookie gif

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.