As Melhores Faixas de Novembro - Minha Lista x Leitores.

12/06/2016 0 Comments A+ a-


Meio que na boa vontade de evitar deixar o blog às moscas num período academicamente brabo do ano, abri várias votações para adiantar posts futuros. Só que me perdi e agora isso virou uma dor de cabeça, pois são muitas votações em aberto: do MAMA, Delírios Awards, faixa do mês, Disband mais sofrido. E olha que tenho de organizar a de Idol do mês.

Com parcimônia, entretanto, tudo entra nos eixos (tirando minha vida em si).

A votação do post segue em aberto, mas obviamente, não conta mais. Descobri que preciso estabelecer um tempo programado no Poll Maker para ela fechar, o que não faço pois espero um certo número de votos e um período sem outras pautas para liberar o resultado. Então, não votem!

Após 4 diazinhos e mais de 1100 votos, vamos à lista das 5 melhores músicas de K-pop que vocês elegeram - meu ranking está logo abaixo.

5º. Mamamoo - Decalcomanie (80 votos).



Post solo.

O único defeito de Decalcomanie foi, definitivamente, a absurda falta de tato na cena de Solar no MV, felizmente corrigida, mas jamais esquecida. Sonoramente, me arrisco a dizer que é a melhor faixa das meninas; madura e elegante, mas sem deixar de ser lúdica. 

4º. Heechul - Sweet Dream (93 votos).



Post solo

Heechul, o homem que mais cresceu em meu conceito neste ano, entregou duas parceiras incríveis. A segunda personificou seu ship webico bisonho com a adorável Momo em uma baladinha rockish grudenta e dramática, além de um MV paródico cheio de referências inusitadas. 

3º. Taeyeon - 11:11 (146 votos).



Post solo.

O ódio atraído por Tae só não é comparado a seu talento e adoração. Espertamente, ao notar que a baladinha Rain vendera muito mais que o comeback oficial de Why, a SM tratou logo de produzir outra canção chorosa pra sua maior estrela. Resultado? Um novo sucesso acachapante. 

2º. Sistar - One More Day (158 votos).



A injustamente negligenciada e histórica parceria entre o Sistar com a lenda da indústria, Giorgio Moroder, rende um dos melhores singles do catálogo do grupo e um dos melhores do século para o italiano. Ao trazer sua essência disco contemporânea para a Coreia, o sujeito ainda viu seu trabalho ser marcado por um corajoso MV anti-preconceito. Até por isso, é claro que os korebas ignoraram. Não questionem caso a indústria cada vez mais estagnar-se em seus preceitos básicos. Sua maior fonte de dinheiro é, também, sua cruz. 

1º. Berry Good - Don't Believe (176 votos).



Post solo.

Que fique nos autos da história que a primeira vitória desse inestimável ato foi no Delírios da Madrugada.

Atrás de Gfriend, Berry Good é o maior exemplo atual de como o Aegyo concept não é um problema, e sim a maneira excessivamente infantilizada e repetitiva com que é abordado. A proposta da vez foi abraçar a tendência do Dancehall com vocais intensos, suaves e potentes que agraciam nossos ouvidos. Não à toa são o Nugu do momento, o que não quer dizer exatamente muita coisa.

Notinhas:

Sim, BlackPink ficou de fora. PWF acabou em sexto, com 70 votos, enquanto Stay teve apenas 33. Na edição passada, muitos escreveram sobre as duas ao clicar em Other, já que o double-a foi lançado por aqui dia 31/10 e ainda não havia especificado que o calendário utilizado é o coreano.

Bem, parece que o hype passou e o mês que separou o release do post extinguiu a empolgação de muitos. Reflitam sobre o imediatismo de suas escolhas da próxima vez.

Minha lista:

5º. Berry Good - Don't Believe.

(Comentários acima.)

4º. AOA - WOW War Tonight.



Post solo

Curioso ano para minhas favs. Enquanto artisticamente entregaram seu melhor EP e dois excitantes singles japas, comercialmente enfrentaram seu maior fracasso desde que abraçaram o lado farofa de ser. Isso sem contar as tantas polêmicas que cercaram seu comeback. 

Como o foco é musical, entretanto, não posso deixar de ficar contente com o que entregaram. WWT mescla o electropop que marca sua discografia nipônica com um arranjo semi-kawaii, o que gera um midtempo contido e que acerta justamente por não abusar de agudos em uma canção em que não encaixariam bem.

3º. BlackPink - Stay.



Post solo.

Já cometi algumas hipérboles por aqui, mas mantenho cada palavra que proferi sobre o retorno das novas filhas favoritos do mafioso YG: quase impecável. Por algum tempo, Stay foi minha preferida do Double-a, com sua pegada acústica e a boa sacada de unir o acústico do instrumental com as palminhas. Ainda a ouço diariamente. 

2º. BlackPink - Playing With Fire.



Post solo.

Outra que merece os elogios de Stay, PWF me conquistou de cara e apenas cresceu com o tempo. Muitos enjoaram do tropical/dancehall, porém, como disse de Berry Good, desde que realizado de forma criativa e inspirada, o esforço pode ser muito útil. Aqui temos um exemplo disso. Playing With Fire é um bom contraste com Stay, e se compararmos com o outro lead - Boombayah -, se torna um clássico. Uma pena que não tenham repetido o êxito do debut nos charts. Qual é o problema dos korebas Jeez!

1º. Heechul - Sweet Dream.

(Comentários acima.)

-------------

Como síntese do ano, novembro nos presentou com muita coisa ruim, mas é plenamente possível criar um top de alta qualidade e deixar 3 ou 4 faixas de bom nível de fora. A maioria dos releases é detestável, mas focamos no positivo que, afinal, é o que perdura na memória.

Pessoalmente, as 5 do meu top seguem bem ativas na minha playlist, assim como algumas outras que ficaram ausentes (Snuper, Sistar, Tae e até o ZICO - Loona, infelizmente, não me cativou a longo prazo dessa vez).

Aguardem a lista dos melhores Idols do mês.
red velvet irene joy yeri wendy seulgi russian roulette gif

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.