Pacotão Frenético do K-pop #04 - Um Monte de Ticos e Nugus.

10/15/2016 0 Comments A+ a-


Delirianos queridos, cá estamos nós para mais uma rodada do pacotão frenético do K-pop, onde eu comento um monte de coisas que ou não merecem post próprio, ou tiveram azar de me pegar em um período qual estou inviabilizado de escrever algo unicamente para si.

Para esta versão, vou utilizar uma organização diferente: qualidade crescente. Ou seja, do pior para o melhor.

Here we go:

Se7en - Give it to Me



Sabe quando você tá vendo um filme muito ruim, vai olhar se está acabando e nota que ainda falta mais da metade? 

Quando isso acontece em algo com 3:17 de duração, alguma coisa está errada.

Henry feat. Soyou - Runnin'



Piada genérica adaptativa: se um dia estiver com insônia, escute Runnin' e BOOM, você automaticamente caíra no sono.

É impressionante a inconstância do Station. O mais bizarro é que tenham tirado o Henry do porão em uma colaboração teoricamente interessante com uma integrante do Sistar para produzir algo tão monótono e chato. E ela ainda nem aparece. O objetivo do K-pop 2016 é mesmo enterrar o PBR&B. Não dá mais.

Highteen - Boom Boom Clap



Eu fico - sinceramente - com pena das meninas que largam tudo e se esforçam imensamente para debutar com um conceito suicida desses. Não chega a ser tão constrangedor quanto Chewing Gun, mas é a mesma pegada infantilóide de gosto duvidoso e moralmente questionável. O ritmo veloz a impede de entediar, mas o replay power é nulo.

Ainda assim, melhor que o debut de Gugudan.

SF9 - Fanfare



Primeiro Dance Group formado pela FNC (AOA surgiu como banda). Espero que seja o último. Junte tudo que há de mais clichê em boygroups e taca no chão = é o que SF9 fez.

Pentagon - Gorilla



Achei que Idols não podiam manter contrato com duas empresas ao mesmo tempo, mas aí estão os meninos do SF9 debutando também pela Cube, pra aumentar as chances de hitarem.

A batida até tá melhor, mas Mel Dels, que ano caótico pro Cubo. 

Monsta X - Fighter



O Monsta tinha acertado tanto com 'All In'. Uma pena que a segunda parte de seu Clan tenha decaído em qualidade de single. Talvez gostasse mais se tivesse assistido Stranger Things, mas um lançamento de K-pop não pode depender de referências a um seriado americano para se sustentar.

Fighter é provavelmente a faixa mais fraca do bom EP. Destaque para 'Be Quiet', uma farofona muito, muito melhor.
Davichi - Love Is



Love is é uma balada clássica com uma mensagem bonita. Sonoramente, serve muito bem em âmbito espiritual para refletir e extravasar sentimentos. Como MV, entretanto, a despeito de seu belo conteúdo, torna-se enfastiante, a não ser que você tenha alguma identificação especial com a história.

Girls Girls - Juicy Secret



Uma mistura de Shorthair, do AOA, com Ah Yeah, do EXID, só que com baixo orçamento.

As integrantes do Girls Girls são bonitas, principalmente a que parece a Hani, mas o máximo que elas devem conseguir é uma carreira de nicho com baixas expectativas, tipo Unicorn, Laysha, Laboum etc.

Sechskies - Three Words



A coisa tá tão feia, que o veiaredo da primeira geração capopeira se uniu após 16 anos e conseguiu produzir uma faixa superior a todos os debuts e comebacks acima. Melhorem.

Mas falando sério; eu obviamente não acompanhei o cenário do Pop coreano na década de 90 e pouco sei da imensidão que foi o sucesso do Sechskies. Entretanto, é bacana ver o apelo popular gerado. Seja sensível e se transfira para os fãs: imagine um grupo que você ama, mas que há 16 anos disbandaram. De repente, anunciam um retorno comemorativo. É uma nostalgia quase inimaginável, e ainda com uma canção midtempo emocionante e agradável também para quem nunca teve contato com os caras.

Caso alguém queira apenas o áudio, está aqui.

Chanyeol, Far East Movement e mais uns - Freal Luv



O 2016 do K-pop pode não estar muito bom, mas uma das principais atrações do gênero é justamente como, devido a produção em massa de produtos, recebemos amostras boas de onde menos esperamos, e aqui temos um exemplo disso.

Uma junção de Chanyeol e Far East Movement, dois nomes que absolutamente não gosto, mas que unidos, fizeram um single ótimo. Eu fui e voltei da faculdade - e isso dá um tempo considerável - ouvindo apenas Freal Luv, e ainda não parei.

Não costumo gostar dos raps do Chanyeol no EXO, principalmente de suas gesticulações exageradas. Porém, admito que sua voz gerou um contraponto harmônico com Tinashe, e o fato de não querer bancar o Dangerous Rapper também ajuda. 

Fiquem ligados que dia 21, o Far East Movement vai lançar um álbum cheio de colaborações de artistas do K-pop, como Tiffany, Hyorin, Yoon Mi Rae e Urban Kazapa. Se seguir o nível, vai ser bagual!
choa park aoa gif
Morto!
E é isso, queridos. Tem mais coisa ruim do que boa aí, mas se gostaram de uma, já é algo válido.

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.