Ladies' Code e a simbologia por trás de 'The Rain'.

10/13/2016 0 Comments A+ a-


Desde as partidas de EunB e RiSe, a maior tragédia do K-pop, o futuro do Ladies' Code tornou-se uma incógnita. Como seguir em frente após tamanha perda?!

Após um longo hiato, Galaxy nos deu uma boa amostra de como seria o futuro breve do grupo: melancólico, ainda a lamentar o ocorrido, mas um lembrete de que algumas meninas ainda estavam ali, e com muito talento para mostrar.

Pois bem, agora, em seu segundo comeback no ano, com 'The Rain', o clima tétrico manteve-se tanto na sonoridade quando na estética.

Confira:


A despeito da imensidão catastrófica que fora o fatídico acidente, há dois anos, seria injusto e ilógico condenar as integrantes restantes a carregar o fardo para o resto de suas carreiras. A lembrança sempre estará presente à menção do nome 'Ladies' Code'. Porém, deve-se ter a sensatez de libertá-las para não ficarem presas a um conceito de morte eternamente.

Talvez ainda seja cedo para isso, principalmente a considerar o espírito condenatório dos Korebas, e assim, por medo do escrutínio popular ou simplesmente por achar que ainda há de se explorar o acontecimento, The Rain é uma nova abordagem do mesmo, sendo recheada de metáforas verbais e visuais sobre. A diferença para com Galaxy, é que ao invés de ser uma homenagem, aqui temos aprofundada a relação das artistas remanescentes e as consequências internas que elas enfrentam.

A fotografia e ambientação majoritariamente escurecidas e sombrias reforçam o clima pesado e soturno de tristeza e pesar que as garotas sentem, mas é interessante notar que os cenários buscam e muito transmitir a sensação de que estamos no interior de sua mente.

Não vamos falar das conspirações Monarcas que acompanham o ato em sua discografia, mas em semiótica narrativa típica de audiovisual, a utilização de espelhos ilustra a psique" do indivíduo. E em 'The Rain', vemos sucessivamente um espelho esmagado e o reflexo de Ashley.

O espelho fragmentado é o norte para o corroborar o que direi a seguir. Ao assumir que ele denota o interior, a mente, vê-lo espatifar-se deve ser visto como as meninas encontram-se fragilizadas pelo acidente.

Não apenas o visual sombrio ressalta isso, como também a chuva incessante e os guarda-chuvas. Chuva é frequentemente usada pra externar sensações íntimas do ser representado. Ele pode estar com postura imponente e austera, porém, por dentro, encontra-se em frangalhos, golpeado e suprimido por algo que não consegue superar. O guarda-chuva é uma tentativa de evitar que tais sentimentos tomem conta e o atinjam, mas significa que não é capaz de afastar os pensamentos e realmente avançar, sempre precisando esforçar-se para manter-se "seco". 

Mas e a letra? Em primeira impressão, fala sobre algum amor do passado. Entretanto, aliando conhecimento prévio com um pouco de atenção, percebemos que as estrofes inicias estão em clara alusão a EunB e RiSe.

Mesmo que vários dias tenham passado desde que a chuva passou
Eu ainda estou encharcada assim
No raso, o tempo evocou memórias
Na chuva de adeus que ainda cai
Eu estou engolida
Ou seja, mesmo após tanto tempo da chuva (o acidente), elas ainda se sentem molhadas, como se a mesma ainda caísse, as perseguisse.

E aí entram os peixes, dispersos, fora de seu ambiente, desesperados, Em análise convencional, simbolizam sorte, desde que em um padrão de normalidade, o que obviamente não encontramos aqui, onde, pelo contexto, o que vemos é o oposto da sorte - o infortúnio; o insucesso e a infelicidade, tudo que foi limado e prejudicado com a tragédia, logo em tempos de ascensão.  

Seria interessante um próximo comeback mais upbeat. A voz do trio permite várias experimentações e seria um desperdício as restringir a lamentar algo interminavelmente, mas a o perecer de próximos não é algo tão esquecível assim. Tudo poderia, é claro, ser oportunismo da Polaris para extrair lucros da fatalidade. Prefiro acreditar que não.

E é isso, meus queridos. Lembrem-se de que esta é uma teoria criada por mim, não uma verdade absoluta e inexorável. Sintam-se livres para acrescentar informações.

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.

Você gosta do Delírios? Então preencha esse formulário e ajude-me a melhorar o Blog.