Bonde dos Oppas: EXO-CBX, VIXX, Bastarz e Lay.

10/31/2016 0 Comments A+ a-


E heis que hoje, no mesmo dia, mesmo horário, vários ticos da Coreia resolveram desovar seus debuts/releases concomitantemente, justo quando toda a nação parece centrada na presidenta ocultista que dizem ser uma marionete xamã.

Bem, como o tema aqui é o capope, deixamos as teorias conspiratórias de lado para focar nos lançamentos que antecedem o retorno do PRETOROSA.

Por não se tratar de um pacotão, a ordem está no aleatório. Nada de qualidade crescente. Relaxem, EXO-Ls.

EXO-CBX - Hey Mama!


Quem diria que eu fosse gostar dessa unit do EXO. Quando fizeram o anúncio, basicamente ignorei e tive a certeza que não daria um centavo; de que viria algo genérico e venderia mais pelo fanatismo do fandom do que pela qualidade, mas não!

"Hey Mama!" difere da discografia do grupo principal, sem pirotecnia ou pretensão alguma. Serve como uma experiência leve, divertida e revigorante. A vibe retrô lembra muito a de 1 of 1, só que ainda mais animada e descontraída. E o título ainda serve pra chamar atenção do Mama na categoria artista do ano.

Lay - Lose Control


Ou meus critérios estão baixos, ou a SM finalmente acertou com os EXOs. O lançamento anterior do Lay foi uma dormência enfastiante absurda, e nesse corrigiram o maior erro da faixa anterior - o instrumental. O ritmo ainda é lento, mas se encaixa melhor na melodia, suave e sensual na medida certa, com um refrão enfático bem funcional.

Vixx - Closer


E justo o único destes comebacks que eu realmente esperava foi o mais decepcionante. Não é uma faixa ruim, mas fica aquém do alto nível atingido pelos garotos nos últimos anos. Na continuidade da trilogia em homenagem à deuses gregos, o lead single de Kratos mantém o estilo intenso e dramático do Vixx, mas a estrutura da faixa perde feio para Dynamite e, principalmente, Fantasy. Os vocais não empolgam e a batida contribui para a monotonia geral. Para piorar, a subida de tom que o pré-refrão entrega acaba não correspondida pelo chorus. Uma pena.

Talvez cresça em mim com o tempo, mas até agora, estou frustrado.



Há alguém muito disposto(a) a me fazer gostar de Block B e seus derivados no Curious Cat. Odeio decepcionar leitores, mas não tá dando. 

Ainda havia esperança de Selfish Girl servir para Make it Rain como A Few Years Later serviu para Toy - um pré-release fraco que baixa a expectativa e então o bom single lançado a seguir reata as pazes e nos faz esquecer a furada anterior. O que acontece, porém, é que o buraco só fica mais fundo. 

Zero For Coduct já destoou muito do estilo zombeteiro que o Block B construía na respectiva época, mas em sua proposta clichê, satisfazia. Make it Rain repete a fórmula, mas cai no reino da repetição, do marasmo, e aí acaba sabotada. Tivemos Hard Carry, Pentagon, SF9 recentemente. Cansa. 

Ao contrário do que os parágrafos acima fazem parecer, não é uma track horrenda - é genérica, parece que já ouvimos algo semelhante 300 vezes. Esse é seu principal obstáculo. Os meninos deveriam tentar diferenciar. 

E é isso. Gostaram das músicas? 

Nos vemos quando o quarteto do YG der as caras.

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.