TT é bom, mas ainda não vale a celebrização excessiva do Twice.

10/23/2016 0 Comments A+ a-


A regra tácita do K-pop diz o seguinte: quando seu grupo estiver por cima, o mantenha na mídia, com dois ou até três comebacks durante dois anos ou mais, além de participações desgastantes em tudo que é programa. Repita até a marca se solidificar na indústria, quando os retornos podem arrefecer a frequência.

Quando esta regra é negligenciada, ocorre o mesmo do Crayon Pop, que não teve sua viralização aproveitada pela Chrome. Mas como o tio JYP é relativamente esperto, sua astronômica mina de ouro - o Twice - cá está, em seu terceiro single em um ano de vida, pronto para mais vitórias nos Music Banks, All-Kills e milhões de vendas digitais.

Mas ao contrário de Ooh-Aah e Cheer Up, será que dessa vez elas justificaram tanta atenção?

Confira TT:



Primeiramente, há de se esclarecer sobre o que disse de Cheer Up e Ohh-Aah não merecerem o laureamento recebido: não estou falando que são canções ruins; adoro o debut e Cheer Up grudou em mim com o tempo e graças aos ShyShyShy, apesar da impressão inicial pouco favorável. Mas sejamos francos ao concordar que passam longe de ser os hinos que o sucesso faz parecer. Ou você os considera singles melhores que issoisso ou isso, faixas que obviamente foram flopadas pelo universo?!

TT, o terceiro single, que já atinge uma quantidade considerável de views para girlgroups e possui seu all-kill garantido, também deve passear nos charts e programinhas durante semanas, mas ainda não é aquilo que se espera do promulgado "novo grupo da nação".

Mas deixando a chatice de lado: TT é uma faixa gostosa, melhor que Cheer Up e talvez no nível de Ooh-Aah. No máximo um pouco abaixo - algo que o tempo dirá.


A estrutura geral quebra e segue o estilo conhecido das gurias na mesma escala: por um lado, o ritmo é agitado e alegrinho, mesmo que não tanto quando o esperado. E por outro, os raps tosquíssimos - e talvez adoráveis?! - da Sereia e Dahyun foram descartados.

TT, como track, é o que a SM chama de "o lado Red Velvet", um meio termo entre a esquizofrenia e a melancolia. O refrão perde em grude para suas antecessoras, sem um refrão fácil em engrish, mas como conjunto, supera fácil. É difícil errar com synthpop, por mais que não seja algo original. Para upbeats, como temos aqui, deixa a melodia dançante, otimista e divertida de se ouvir. O ruim é que, bem, já ouvimos muitas coisas semelhantes por aí. Em suma, eu gostei, mas queria ter gostado mais.

Black Eyed Pilseung teve êxito em sua tarefa de transformar o Twice em um hit. Agora, seria bacana se o JYP parasse de apenas as parabenizar para realmente tomar as rédeas da produção, como fez com seus outros girlgroups - Wonder Girls e miss A. Uma nova tonalidade na letra seria bem-vinda. Ooh-Aah e Cheer Up apresentam lyrics simples. Entretanto, bem intencionadas quanto a mensagem "sou- mulher-linda-fodona-e-tu-vai-ter-de-fazer-mais-que-isso-pra-me-conquistar". Já TT é justamente o contrário, um decréscimo em 2016, com a mensagem de "mulher-corre-atrás-de-homem-que-não-a-merece-por-estar-perdidamente-apaixonada-e-não-ter-a-dignidade-de-notar-a-perdição-que-se-enfiou" - até por isso o TT, emoji de choro, no título. Esqueçam a ambiguidade com "Trick or Treat" para Halloween. As meninas merecem mais que isso.


Porém, se há algo em que o Twice se esmera novamente, é na produção do MV. Um conceito individual e interessante para cada integrante - uns mais, outros menos, é claro. Nayeon diabinha e Sana Hit-Girl com seus "nanana" se destacam, com boas participações das outras, como Tzuyu, que finalmente tem sua beleza bem utilizada no visual Tim Burton, Dahyun coelhinho sapeca, Jihyo Elsa e até Jungyeon Pinóquio.

A tristeza vai por conta de Momo - minha Bias, como dizem os capopeiros. Sua imitação da Nico Ni de Love Live no Weekly Idol foi bem fofa, bonitinha, Kawaii, Apink e todos esses outros adjetivos, mas levaram a sério demais, com gesticulações durante o MV e uma estilização pouco chamativa de Tinker Bell. Sorte que ela é absurdamente linda mesmo.


E assim, entre acertos e tropeços, TT se sobressaí justamente pelo imenso carisma de suas 9 integrantes e os recursos relativamente bem gastos pela empresa. Para o futuro, porém, é bom considerar uma melhora sonora.


E não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.