Em comeback impiedoso, Song Ji Eun ofusca coleguinha e enterra o Secret.

9/21/2016 0 Comments A+ a-


Nessas novas gerações perdidas capopeiras, onde grupos com integrantes que passam da segunda metade dos 20 são tão ignoradas que mal conseguem pagar a luz, há um segmento musical incrivelmente mais flopado: o mundo das solistas.

Claro que uma ou outra ainda consegue atingir um bom status, como Tae e IU, mas nem mesmo a semi-deusa BoA tem emplacado o glamour de outrora, quem dirá meninas de pouco renome saídos de atos esquecidos pelo tempo.

E o que dizer, então, daquelas que são coadjuvantes em seu próprio grupo que já é coadjuvante no cenário? Essa é a situação de Song Ji Eun, do Secret, onde sempre fora apoio para Hyosung brilhar.

No último dia 19, Ji Eun teve seu comeback e salientou, mais uma vez, como é uma das artistas mais injustiçadas do sistema.

Confira:



Não assisto teasers, então qualquer expectativa que tinha para este solo se deve ao currículo respeitável construído pela Idol em sua carreira off-Secret, e como é bom ver algo bom saindo daí. 

O mais surpreendente sobre Bobby Doll, é como inova em comparação com o catálogo anterior de Ji Eun, enquanto igualmente mantém a áurea madura e dark de grande parte de seus singles (com exceção de 25), como Going Crazy, Don't Look At Me Like That e False Hope.

Apesar de sentir falta do Secret, muito mais pelo que elas fizeram no início da carreira do que nos últimos releases pré-hiato, é também um alento ver o grande talento que é Ji Eun encantar sozinha, sem a figura de Hyosung para sobrepô-la. Esses solos deixam nítidos seu carisma, habilidades de dança, beleza, gostosura corporal e, é claro, o alcance vocal, um dos maiores benefícios que uma solista ganha quando se desvincilha do grupo principal.

E por mais que eu goste dos singles individuais de Hyosung, eles são, em fato, uma continuidade maior dos maiores hits do Secret; dançantes, vibrantes e sensuais, enquanto Ji Eun apresenta algo, costumeiramente, novo. A sensualidade permanece, porém misteriosa e com algum conceito interessante. São várias as interpretações que podem ser tiradas do MV, muito além do que a superficialidade da letra sugere. Don't Look At Me Like That já flertava muito com esse lance de como a sociedade é severa e trata Idols com opressividade, impedindo-os de engajar-se em relacionamentos sérios para manter uma ilusão para os virjs.
Song Ji Eun Bobby doll gif

Os simbolismos aqui não são tão óbvios, mas a simples escolha de retratar-se como uma boneca, os panos, ser controlada, já transmite uma ideia semelhante de controle, talvez mais por parte da empresa, representada pelo cosplay de Coringa, do que os fãs em si.

Eu adoro teorizar, então talvez seja apenas loucura, entretanto, não me neguem o prazer de buscar algum significado maior.

Todos esses parágrafos sem falar da música diretamente. Ela não me despertou o replay power imediatamente, como as tracks passadas, mas enquanto a ouvia/assistia para o post, fiquei levemente viciado. A sonoridade mais acústica perde um pouco em intensidade para lançamentos passados, mas ainda com uma identidade própria, seja pelos Lalalala, seja pela voz suave e de timbre controla por parte da vocalista, sem apelar para algum clímax gritante fora do contexto. Funciona, sim, melhor com o MV, o que não a impediu de conquistar um lugar em meu fone.

Só lamento a divulgação parca que o EP tem recebido, pois ele está bem delicioso e ao menos alguma b-side alternativa poderia render um clipe bacana. Recomendo escutarem ao clicar aqui.
Song Ji Eun Bobby doll gif

O ponto ruim da coisa roda? Bem, se o Secret já está simbolicamente enterrado, agora colocaram outra camada de terra por cima.
Song Ji Eun Bobby doll gif

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.