Talvez você não entenda, mas Sailing vai tocar profundamente os sones desse mundão

8/04/2016 0 Comments A+ a-


9 anos se passaram desde que aquele pequeno emaranhado de garotinhas franzinas das mais variadas compleições e personalidades embarcaram de vez no caminho que haviam resolvido trilhar quando ainda eram crianças.

O resto é lenda. O grupo que seria apenas uma versão feminina do SuJu suplantou não apenas o sucesso deste, como de qualquer ato coreano do passado ou presente (e os do futuro vão ter dificuldades em superar). Pois aceitem ou não, as Soshis são certamente o ato de K-pop mais influente pelas bandas do Ocidente, e o girl group mais popular, com prêmios e outros recordes numerais irrelevantes na Koreba. Em suma, o SNSD já deixou aquela marquinha indelével nesse mundo.

E para comemorar a data simbólica, ainda que a SM tenha deixado e muito a desejar nos esforços compreendidos para com seu filhote mais notório, Sailing serve justamente pela carga emocional que desperta em seu grandioso fandom:



Para o resto do globo, não passa de uma baladinha com vozes harmônicas e um vídeo xarope e incompreensível, desses que provavelmente não verão novamente. E isso não importa aqui.

Sailing foi, claramente, vendida como uma homenagem aos 9 anos de grupo, uma homagem a elas e aos fãs, e com essa proposta, funciona justamente pelo sentimento depositado na letra, escrita por Sooyoung. A melodia evoca bem baladas clássicas das Soshis, como Divine, Complete e Sunflower, o que automaticamente gera um clima de melancolia e nostalgia, e a garrafinha atravessando os mares dos conceitos, através de todas as eras, é um agradecimento singelo ao fãs que fizeram parte de toda a história delas, independente de quando tenham embarcado na jornada, seja em tempos conturbados (Black Ocean) ou nos tantos felizes. 

Tocante também são as pequenas lembranças a Jessica, com referências sutis, como os 9 diamantes e feixes de luz em IGAB. É bom ver Sica ser lembrada apesar das dissidências de sua partida, afinal, foram 7 anos sendo uma das precious nine.


E no final, ainda podemos dizer que a garrafinha simboliza os sones e Sica, para assim completar as silhuetas:

Senti falta de incluírem alguma imagem real das garotas, mas acho que entendo o motivo, sendo esse justamente para respeitar a figura de Jessica na história delas. Ao menos, prefiro acreditar nisso do que descaso da empresa. Agenda lotada não seria desculpa, visto que um aniversário é esperado desde que o anterior se encerra. 

Não é exatamente o que esperávamos, entretanto, Sailing não é um comeback, e sim um release comemorativo, direcionado a um público, e para este, o resultado é mais do que satisfatório.

Eu, pessoalmente, só tenho a agradecê-las (ou amaldiçoar?) por me introduzirem nesse mundo do k-pop, onde estou até hoje. Se você lê este texto hoje, é só pelo tal do Gee Gee Gee.

É um feito que merece nota e respeito, pois não é fácil sobreviver quase uma década nessa indústria predatória, injusta e machista do K-pop, quanto mais todo esse tempo sendo referência. Que os dois dígitos cheguem logo!

Fiquem com esse vídeo celebrativo, e obrigado, So Nyeo Shi Dae!



Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.