Reservas do Produce 101 debutam e reforçam por que não foram escolhidas primeiramente.

8/17/2016 0 Comments A+ a-


O k-pop costuma diminuir o ritmo em épocas de grandes eventos, com exceção de atos pequenos que tentam aproveitar o espaço onde grupos de renome evitam lançar algum conteúdo.

Como estamos no meio de uma Olimpíada, é bizarro que tantas empresas estejam debutando e realizando comebacks para seus produtos, e baseado na qualidade desses releases, seria melhor terem esperado o fim dos jogos. O debut de BlackPink teve seu valor, mas o que veio depois foi um completo desastre: I.O.I, B.A.P, UP10TION, o insosso Secret, da WJSN e outros nomes irrelevantes do cenário.

E hoje, após uma promoção que particularmente achei bacaninha, com as integrantes tendo de fazer um karaokê bagaceiro de suas canções favoritas, a Loen jogou seu novo grilgroup no mercado: o I.B.I, com 5 garotas renegadas do I.O.I, deixando bem claro como elas são segunda divisão, com o B central.

Confira:



Aos 15 segundos, quanto a câmera enquadrou todas as 5 uniformizadas com vestuário pudico e fofinho, revirei os olhos e tive 90% de certeza de que não gostaria do viria pela frente, pois estávamos na presença de mais um exemplar do White Aegyo. Ele, que tem estado por todos os cantos neste 2016 maldito. O conceito anda implacável e mais uma vez irrita nossos ouvidos com melodias xaropes, genéricas e que criam uma uniformidade terrível para o cenário do K-pop, como se 30 grupos fossem um só, pois está tudo igual.

A despeito do título, quando o I.B.I (que parece nome de doença venérea, mas significa "I Believe It!") foi anunciado, fiquei levemente esperançoso pelo fato de Lee Haein fazer parte do lineup, pois entre as que ficaram de fora do I.O.I, ela é quem mais senti falta e considero ser merecedora da posição. E como o I.O.I está decepcionante, me dei ao luxo de imaginar que, talvez, o destino tivesse reservado algo melhor nesta segunda chance para a Idol. Ledo engano.

A maior diferença de Molae Molae (Secretly, em koreba), é que ao invés de parecer um single recusado pelo Apink, se assemelha a um negado pela staff do Lovelyz. O sythpop inocente é nítido tanto na sonoridade, com as vozes vocorizadas no melhor estilo kawaii japonês, o que seria legal em algum pequeno verso ou bridge, como ocorre aqui (1:18), só que durante toda a faixa, fica cansativo e monótono, sem clímax ou vibração.



O projeto do I.B.I deve ser rápido, ao menos foi organizado para isso, e utilizar o pouco tempo para produzir algo tão banal e sem graça, falhando inclusive em lograr do carisma das meninas, que foi o motivo da criação do grupo, é um tremendo desperdício de talento. Ao fim, elas são apenas mais um no meio de tanto cute concepts que o ano tem entregado. Uma pena.

Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.