Taeyeon: Why - Mini Album Review

7/01/2016 0 Comments A+ a-



Bonjour, Delirianos! Completando a trinca das Soshis, venho hoje revisar o segundo EP da Teião, vulgo a melhor voz do k-pop. 

Why segue um padrão estritamente SMiânico. A tracklist é disposta de modo aleatório e sem fluidez, empurrando os singles um após o outro e depois o resto das canções dispersamente. Isso obviamente prejudica a experiência continua de degustar o álbum, mas não a qualidade individual das faixas realmente boas.

E além disso, segue a linha House que a empresa escravizadora do k-pop tem explorado desde o excelente 4Walls e que em 2016 esteve presente já com Luna, Amber, Tiffany e umas trocentas vezes no Station. Se tem faltado diversidade, ao menos o padrão é consistente e tem entregado muita coisa boa, em contraste ao k-pop no geral. 

House >>>>> White Aegyo (tirando Gfriend).

Se quiser escutar o EP enquanto lê, pra tornar a tarefa menos tortuosa, tá aí a playlist do Spotify dos pobres, cheio de anúncios xaropes:


O que eu tinha de falar sobre Why está aqui. É um single atmosférico e que funciona muito bem na função de nos introduzir ao que vamos escutar pelos próximos minutos, ainda que não dite o ritmo do álbum. Tae já não tem nada pra provar pro povo, apesar do hate, e ainda que o House não exija muito esforço vocal, uma boa vocalista torna qualquer melodia agradável, o que acontece aqui. É uma mudança boa de I e Rain, ainda que ache seu single do solo debut imbatível. 

Após, quebrando todo o ritmo e empolgação inicial, como se os executivos dissessem: "Pare já de escutar isso", vem Starlight, um desses duetos melosos, água com açúcar chatos que deveriam ser relegados ao Station. Se chamaram o Dean, poderiam ao menos ter investido num conceito R&B mais forte do que foi feito. A mais descartável e insossa do EP, e é incompreensível ter sido o pre-release pra divulgação. A única utilidade de sua existência é ter feito ligação com o MV de Why na historinha Alien da Soshi Leader.

Mas os engravatados da SM são espertos, e Starlight era um teste de resistência, quase uma brincadeira interna pra ver quem aguentava seguir em frente para a sequência moral e natural de Why, Fashion. É a única explicação que vejo para isso não ser a second track, já que se complementa perfeitamente à faixa título.

Se Why é um Tropical House, Fashion é um Future House que poucos EDMs do k-pop se aventuraram, e provavelmente aumentará sua tendência em longo prazo, tendo em vista que a SM está sempre um passo à frente das rivais. Se a SM for focar nesse EDM minimalista com derivados do House, espero que assim como Fashion e Free Somebody, lancem mais Future Houses. No caso, aqui, casa perfeitamente com a voz da Tae e ainda tem esse refrão simples, mas awesome de UUUUUUUH. 

Fock Yeah! Não pensem besteira, mas essa trinca Why - Fashion e agora Hands On Me é de curar impotência sexual. Sério, exclua Starlight da pastinha que você baixou no k2n ou coloque um "8-" na frente do título, mas de forma alguma deixe a xaropada interferir na sequência que citei acima. Não tem o uso marcante de sintetizador, mas o piano elétrico e o som de palmas ao fundo formam uma mistura inusitada o suficiente pra envolver. 

Imagine um concert com milhares de Sones e Blackjacks camufladas pra gerar o ódio virados pro palco, com os light sticks balançando e todo mundo batendo palmas. Sério. Providenciem isso pra ontem! Provavelmente os Korebas não vão se dar conta do quão incrível Hands On Me é e vão deixar passar batido. Um crime! Acho que dava pra ter rolado um dueto com outra soshi aqui, inclusive, seja Seohyun ou Tiffany, principalmente como voz de fundo no refrão. Agregaria mais que as sequências sobrepostas da própria Tae, que são ótimas, vale dizer, mas seria um diferencial. O refrão final, só com a bateria ao fundo, é especialmente fantástica.

E aí temos Up & Down. Eu sei que é quase lei no fandom dizer o quão fabulosa a música é. A chance de Hyo e tals, mas caras, sinceramente, é boa, mas longe de estar entre as melhores do EP. Aliás, as partes da Hyo mostram como não fazem a mínima ideia de como aproveitar o talento da moça pela SM. Não sabem se ela canta, faz rap ou os dois. Ainda se aproveitasse o backing track inicial, que contém uma pegada de espião, à lá Hoot, só que vira algo totalmente diferente, uma bagunça. É válido por finalmente vermos algum espaço pra Hyo, algo que ela nunca teve - e tem tido cada vez menos - no SNSD. Mas a frenética troca de ritmos (o decrescendo antes do último refrão é pavoroso) realmente não colou. Deem algo no Station pra moça, ou tirem o SHY da gaveta. 

Entrando no final do álbum, Good Thing volta ao estilo mais descontraído, dançante e consistente das 3 primeiras faixas (sempre desconsiderando Starlight, lembrem-se), e num mundo onde respeitassem melhor o público, prezando pela melhor experiência possível para ouvir o EP em One Shot, estaria incluída logo após Hands on Me, como um intermediário desta e Up & Down. Talvez até deixasse o dueto com Hyo menos abrupto. Os produtores estavam inspirados, pois os "Oh Oh Oh" de Why são certamente os melhores em um bom tempo no capope. O break de trompete dá uma classe inesperada quase como se fosse um jam que alguém soltou durante a gravação. O espírito Jazz me faz questionar por que não colocaram a participação do Dean aqui. Mas bem, whatever. 

E pra encerrar, Night - que inteligente da staff - pega as pitadas de Jazz vistas em Good Thing e a encaixa em toda a canção, que aliás, forma um mashup bacanudo com Dear Diary, da BFF Jessica. É a canção mais cadenciada de todo o projeto, e olha que nem tivemos uma baladinha. A música não me empolgou muito, apesar de se adequar bem na voz da Tae - na verdade acho que tudo se encaixa. É uma maneira morna de encerrar a escutada e que talvez arrefeça o sentimento de exultação sentida até chegarmos em Up & Down, mas não deixa de ser uma experimentação interessante.

Se minha opinião valesse de algo, recomendaria que escutassem Why da seguinte forma: Why - Hands on Me - Fashion - Good Thing - Night - Up & Down. Ignorem Starlight. Sério. 


E então, vale a pena?

Vale e muito. É um disco mais sólido e regular que I. Nenhuma faixa é tão boa quanto I, no entanto, nenhuma é tão ruim quanto Stress, e enquanto I era a única track verdadeiramente memorável do EP homônimo, Why tem 1 música ruim, duas mais ou menos e 4 genuinamente boas. O problema na organização, o que ocorre na SM desde o século passado, é óbvio, mas seguindo minha dica a experiência tende a ficar ainda melhor. 

Com o eminente fim do SNSD pros próximos anos - :'(  -, a SM faz bem em seguir investindo em solos, e por mais que Tae obviamente receba mais destaque e investimentos que as suas parceiras de grupo, não podemos negar que ela merece, e manter essa voz em cativeiro seria um atentado terrorista contra a cultura e o bom senso. 

Como dizia Clarice Lispector: "Quanto mais Taeyeon, melhor".


Não deixe de curtir a página do Delírios no Facebook.