Back in Time #01: Stellar - Marionette. O sexy concept que quebrou a Coreia.

7/13/2016 0 Comments A+ a-

stellar marionette

Olá, Delirianos, nessa escassez de novos posts, a preguiça de terminar a parte 2 das melhores do semestre e a exaustão do final de semestre, resolvi botar em prática uma velha ideia minha: comentar músicas que lançaram previamente ao início de meus pitacos capopeirísticos, e isso inclui basicamente tudo que saiu até dezembro de 2015, já que só iniciei a comentar os releases este ano, tirando aquele tímido post sobre Flame

A ideia principal é pegar MVs passados e....escrever como se fossem atuais. Isso inclui me transportar para a mentalidade da época. Parece divertido e a continuidade depende de vosso feedback.

As honras para debutar a nova sessão se dá com Stellar em Marionette, aproveitando o vindouro comeback das meninas. Confira:



4 anos no k-pop, mas a gente ainda se surpreende bastante. Desde que Hyuna, Sistar, Miss A e Girl's Day usaram sexy concept pra alavancar de vez na carreira, vários grupinhos resolveram apostar em seus glúteos, pernas e peitos pra tentar desflopar e se tornarem as novas queridinhas do povo. 

A ideia vinha dando certo, mas aí chegou 2014 e o negócio tem tomado proporções avassaladoras, quebrando a parcimônia e a harmonia com outros conceitos, e essa massificação sexy, por mais que tenha proporcionado várias ereções pro povo, dita uma nova tendência preocupante e que está destinada a saturação.

Vejam bem, estamos em 11 de Fevereiro, e antes de Marionette, já tivemos AOA, com Miniskirt, Rainbow Blaxx, com Cha Cha, Dal Shabet com B.B.B e Girl's Day, com Something (e olha que há alguns meses elas já tinham lançado Expectation e Female President, sempre destacando as curvas). 
stellar marionette gif

Não que as canções sejam ruins, longe disso - ao menos algumas delas. Miniskirt é uma farofona grudenta, BBB tem uma backing track new wave que a deve colocar entre as melhores de 2016, enquanto Girl's Day se solidificou entre os atos mais profícuos da atualidade (Rainbow continua na &*!#$).

Mas mesmo que abusassem da exposição corporal, nenhum desses grupos chegou minimamente perto da ousadia que essas 4 molieres do Stellar fizeram. Eu nunca tinha ouvido falar desse nome, e uma rápida pesquisa já me fez compreender o porquê de tanta apelação: elas debutaram em 2011, já trocaram de line-up e tentaram de tudo, do White Aegyo que parece só funcionar com Apink a um clima sci-fi tosquíssimo. Fracasso atrás de fracasso.
stellar marionette

Sendo um Nugu desses, já é um feito terem perseverado por tanto tempo, mas parecem ter chegado no limite e foram pro tudo ou nada seguindo a onda momentânea. O resultado foi essa Marionette, que como música é muito boa. O uso agressivo de sintetizadores concede um atmosfera instantânea na melodia, e ainda que a sonoridade não se altere muito durante sua duração, os competentes vocais, aliados a um refrão impecável com um eletropop que emula sons de bateria e vibrações alienígenas, tornam essa uma experiência memorável.

The problem is... o MV quase não te deixa focar na melodia, ao menos nas primeiras escutadas. Marionette é tudo que os coreanos abominam para manter as aparências externas, já que fundo grande parte do público alvo deve ter se deleitado com os closes no seios firmes com acréscimo do bojo, as meia-calças fetichistas e as infindáveis metáforas com leite, um dos simbolismos mais batidos do pop coreano. Tudo isso sem contar a coreografia insinuante de funk carioca, com direito a boquinha na garrafa.
stellar marionette gif

Bem, se elas queriam atenção, conseguiram, só não sei se era o tipo de notoriedade que esperavam. A nação já tem caído em cima, as depreciando com termos pejorativos que você já sabe quais são. O número de dislikes no vídeo é desproporcional demais. 

O triste, é que acima de tudo, Marionette é uma baita canção, e o artifício recorrido pelas garotas só denota a dificuldade pra um ato de empresa pequena se destacar no meio de nomes consolidados e muitas vezes horríveis ou estagnados que só possuem histórico ou $$ pra permanecer na mídia. 

-----

É isso, meus queridos. Tentei manter a mentalidade em 2014, escrevendo o post como se vivêssemos na mencionada época. É interessante notar como os tempos eram outros, quando o Sexy era tendência, uma tremenda diferença do White Aegyo de hoje (o engraçado é que Apink continua na mesma). Stellar sofreu muito, tentou voltar com MV purinho, flopou mais que o normal e seus outros dois comevoltas exibiram pele de montão, sempre de forma polêmica, mas com qualidade acima da média.

Espero que tenham gostado deste giro temporal. Já estou com vários MVs em mente pra papear futuramente.