Além de Linda, Fly é o Desabafo de Jessica Por Tudo Que Passou Após 2014

5/16/2016 0 Comments A+ a-

Venha Matar a Saudade da Sica <3!
Eu me considero um cara calmo e muito sensato na hora de criticar e julgar algo, seja um álbum musical ou filme. Porém, são quatro Idols que fazem meu lado fanboy florescer de maneira realmente constrangedora, que passam aquela sensação de espelhamento onde sofremos, sentimos angustia, ansiedade e felicidade conforme a situação vivida por este Idol. São estas ChoA, do AOA, Irene, do Red Velvet, e as irmãs Jung: Krystal e Jessica.

A saída de Jessica foi realmente traumática pra mim, e é até estranho admitir isso, mas sofri tanto quanto sofreria caso presenciasse a partida de uma pessoa próxima a mim. A raiva foi tanta, que passei uns 2 ou 3 meses em hiato do k-pop, tamanha a revolta com a omissão de informações e estarrecedoras teorias levantadas. Já fora difícil passar pela teórica e injusta morte do T-ara no cenário coreano, e agora minha Ultimate - até então - havia escapulido do mundo do K-pop sem explicações definitivas. Pior, talvez a culpa fosse de outras integrantes que eu também sinto grande afeição. De meu grupo favorito. É muita tristeza.

Após esses dois parágrafos, é desnecessário dizer o que senti com o anúncio de que nossa Ice Queen voltaria para o mundo do entretenimento lançando sua carreira solo com outra gravadora. Talento e carisma ela sempre teve, então era apenas uma questão de manejar bem as prioridades e suas incumbências com a Blanc & Eclare.

Mas deixando de lado o fanboyismo, o Solo Debut justifica tanta euforia? Confira o MV:



A música funciona muito bem sozinha, com essa backing track que, apesar de ser basicamente a mesma durante os 4 minutos e meio de duração, não cansa justamente pela simplicidade que transmite. Mas é impossível falar de Fly sem relacionar com a letra e o MV, pois acima de tudo, é uma metáfora por tudo que Sica passou nesse tempo fora do mídia buzz e a mensagem que ela tirou e quer passar com isso.

No começo do MV, vemos Jessica sozinha, numa banheira em um cenário desértico com um núcleo multicolorido (pobre dos responsáveis pela pintura disso), enquanto entoa...

Invisível na névoa
Eu tenho de encontrar a mim mesmo, yeah
Ela encontra-se sozinha em meio à inóspita paisagem, almejando largar sua solidão e estagnação para embarcar em uma viagem à Antártida, após receber um cartão postal que, baseado no globo de neve, acredito ser oriundo dela mesmo no outro espaço/tempo. Esse objetivo serve como representação de sonhos em gerais, como diz o refrão:

Siga seus sonhos
Você é um herói, você pode voar
Você pode voar
(..)
Eu mundo que você nunca viu antes
Vai aparecer diante de você
(...)Eu não vou chorar agora
Eu não vou desistir
Eu não vou perder

Como a letra é toda de autoria de Sica, fica claro que ela está se referindo a si mesma, concomitantemente com que estimula seus fãs a fazer o mesmo. É uma mensagem de autoajuda, dá até pra passar no telão do culto (notem como há vários "God" espalhados pelo cenário). Mas a que exatamente ela está se referindo? Tudo fica bem implícito no rap do Fabulous:

Você nunca deveria
Ter duvidado de si mesma
Na verdade você deveria
Orgulhar-se de si mesma
Porque você teve de encontrar
Um caminho para seguir por si mesma
(...)
Odiadores querem me ver

Obviamente é um grande desabafo artístico pelo turbulento período que se seguiu após a sua polêmica saída do SNSD. Ela duvidou de si mesma. Estava segura com as soshis, e seguir seu sonho exigiu, é claro, um grande esforço, a insegurança foi inevitável. Ela tinha de encontrar a si mesma, mas não é algo fácil. Na época, muitos fãs, no calor do momento, de maneira insensível e acusatória, tomaram partido entre o SNSD ou Jessica.



Muitos a acusaram de negligenciar o grupo em prol de suas atividades como designer, agir de maneira preguiçosa e desrespeitosa com as outras integrantes. A história real nunca foi contada, mas qualquer sone decente e que acompanha o ato há algum tempo, sabe que isso é inadmissível e infundado. Qualquer documentário e vídeo deixou claro o esforço mútuo entre as 9, assim como a determinação de Jessica nos treinos. Que sua relação com Tae estava estremecida no ano da tragédia, é notório, mas não podemos tirar interpretações precipitados e conclusivas disso. Ela se viu rejeita por muitos que diziam a amar.

Foi um período difícil, como retratado - de maneira mais leve e divertida, é claro - no vídeo, com suas expressões de tédio, insatisfação e o icônico chute no Cheetah.


É após o rap, que serve como autodescoberta e aceitação e a aparição do globo, que define-se um objetivo para ela tomar um rumo certo (na estradinha de Ice Cream Cake), abrir suas asas e seguir o som das batidas de seu coração (olha que bonito). É fácil relacionar com I, onde Tae também resolve largar a vida que tinha - com exceção que lá, a líder do GG deixou claro que estava sendo abusada e infeliz - e seguir seus sonhos, ser ela mesma. "Girl, you know you were born to fly", lembram?!

Agora, para onde suas asas a levarão, eu não sei, mas eu estarei lá, apoiando ;).