Review - Digimon Adventure Tri - Parte 1: Reunion - Teorias e Impressões

11/21/2015 0 Comments A+ a-

digimon tri digiescolhidos
Os Guerreiros da Paz Estão de Volta!




Atenção: Essa review é referente à 1ª OVA de Digimon Tri. Para ler a review da segunda parte, clique aqui.

A espera acabou, amigos. Nesta sexta-feira(20), a 1ª parte de Digimon Adventure Tri, Reunion, finalmente foi lançada. Para nossa surpresa, o site Crunchyroll adquiriu os direitos de transmissão e nós, brasileiros, podemos conferir a aventura ao mesmo tempo dos japoneses. Foi quase um ano de espera desde o anúncio do retorno. E que retorno!

Atenção: O Texto a seguir contém spoilers da 1ª OVA de Digimon Adventure Tri.
Obs: Em respeito a minha infância, irei me referir aos personagens por seus nomes na versão inglês, a que eu tive acesso na rede Globo.
Leitura Relacionada: Animes que Marcaram Minha Infância - Digimon.

A prova de que Digimon, apesar de seu apelo infantil, não pode ser considerada uma obra centrada para tal público, é seu início, uma referência ao Demiurgo de Platão. Nada de Sora, Agumon ou os digiescolhidos. Enquanto aparece a imagem de um ~ovo~, infectado com uma espécie de vírus, as seguintes palavras são proferidas:

No começo, havia um criador sem alma, Demiurgo, e a verdadeira forma do mundo, Idea. Só existiam almas caóticas e disformes em todo universo. Demiurgo não conhecia quem o havia criado. Não sabia da existência das almas, nem da existência de Idea. O mundo que ele criou foi meramente uma sombra do verdadeiro mundo.

A seguir, podem ser visualizadas as silhuetas de Davis, Cody, Ken e Yolei sendo derrotados por Alphamon. Seus corpos aparecem estatelados ao chão em meio a um plano todo vermelho, remetendo a sangue.

Após esse prelúdio bizarro, finalmente o anime começa de vez. A nostalgia logo é ativado quando ouvimos os primeiros acordes desta nova versão de Butterfly, a fantástica abertura original japonesa.


Passado a estranheza inicial, logo passei a apreciar muito o novo character design dos personagens, definindo bem seu temperamento, além do traço ter ficado bonito e atualizado.

A 1ª parte de Reunion(dividido em 4 episódios de 21 minutos) serve como catalisador de nosso sentimento por está série, nos fazendo sorrir a cada novo nome e personagem conhecido que surge na tela. Nossa 1ª visão é de Karin chamando por Tai. Enquanto a garota acorda seu irmão, a câmera passeia levemente pelo quarto do menino, enquadrando a foto da turma no último dia no mundo digital, só que encoberta pelo sol, um augúrio de como está a relação dos amigos.
digimon tri foto
A foto refletida no quarto de Tai.

Digimon Adventure, Episódio 54: "Adeus Novo Mundo". Que saudades, e que traço...
Sim, apesar de continuarem amigos, eles agora estão crescidos, afinal, 6 anos se passaram desde que deixaram o digimundo. São estudantes de ensino médio, com mais responsabilidade e deveres, e o tempo para brincarem e se encontrarem não é mais o mesmo. Tanto que Tai e Matt, em uma pequena reedição de sua antiga e amistosa rivalidade, tentam juntar o grupo cada um para sua respectiva atividade - Tai para um jogo de futebol, Matt para conferir o show de sua banda - ambos sem sucesso. 

Em um momento sutil e significativo, vemos Tai colocar o Digivice no bolso antes de sair de casa, denotando o apreço e carinho que o garoto guarda do local, mesmo tanto tempo após o deixarem. Não é apenas o protagonista que se sente assim. Somos nós, em pequenos e inconscientes atos do cotidiano, como toda a ansiedade gerada até termos a oportunidade de assistir Reunion.

E afinal, quem poderia juntá-los novamente se não quem os juntou? Os Digimons.
Um portal entre os dois mundos se abre e Kuwagamon - sempre ele - adentra Odaiba, causando destruição por onde passa. O monstro cerca Tai e é então que Agumon, no início da 2ª parte, reaparece para proteger seu amigo, em uma cena que deixou a desejar. Foram anos sem se verem - sem nos vermos -, o reencontro merecia algo mais elaborado, deveria ser um momento construído de forma calma e impactante, não tão apressada. Ao menos gerou uma bela imagem:
tai agumon

Ao digiescolhidos, auxiliados por misteriosos membros de uma organização de apoio(se possuem alguma relação com a DATS de Savers, não sei), são levados ao aeroporto, onde a batalha se desenrola. É lá que humanos e seres digitais se encontram pela primeira vez, com exceção a Joe.

O foco até aí é todo na interação entre os personagens, servindo como pano de fundo para o reencontro entre os mesmo, e portanto, a luta fica em segundo plano, não sendo nem um pouco instigante ou estimulante. Os campeões Greymon e Garurumon, certamente quem os fãs mais gostariam de assistir, apenas apanham. Angeomon é o único conhecido que consegue competir de igual para igual com os Kuwagamons, o que não deixa de ser uma decepção.

O destaque da batalha vai novamente para uma música que atiça nossa nostalgia: a maravilhosa Brave Heart, utilizada em todas as evoluções. Confira um compilado com todas as transformações para modo campeão:
O 3D das animações ficou um pouco exagerado. Mas relevamos.

A 3ª parte é novamente focada na relação entre os amigos, que finalmente iniciam sua reaproximação. Porém, algumas coisas mudaram, afinal, eles não são mais crianças.

E aí entra um fator que sempre foi diferencial de Digimon perante seus maiores rivais, a complexidade dos heróis. Tri explora muito mais os sentimentos que surgem com o aflorar da idade, o que pode render excelente ships, assim como aprofunda melhor seu caráter e inseguranças, não mais sendo limitados pelo brasão que os representa.

O outrora ímpeto e impulsivo Tai, agora reluta e hesita na hora de atacar, levando em consideração a segurança de outras pessoas, algo notável se tratando de um anime shonen, onde normalmente prédios e cidades são destruídos sem jamais alguém parecer considerar quantas vidas foram perdidas assim. Também é necessário coragem e sabedoria para Matt compreender e buscar ajudar seu amigo, ao invés de deixar a raiva tomar conta. São personagens tridimensionais e complexos, e Tri os vêm desenvolvendo ainda melhor.

Como supracitado, a ênfase em mostrar a relação e química entre todos gera excelentes momentos:
novos digimons
Como são lindos!
digiescolhidos tri
A turma reunida na escola - Joe, aparentemente, está em um curso pré-vestibular.
digiescolhidos tri
Explica, Mimi!
digimon tri
Mimi sendo Mimi, e que a shippagem comece.
digimon tri fotos
Joe claramente com muita credibilidade. Acho que me identificaria.

Essa 3ª parte também elucida algumas incógnitas. Izzy e o professor de Tai, que na verdade é um agente da organização que auxiliará os digiescolhidos, explicam que uma distorção do espaço abriu um portal entre os mundos, e que os digimons têm se mostrado tão agressivos por serem contaminados por um vírus desconhecido.

Na 4ª parte finalmente temos uma batalha grande e digna de Digimon. Alphamon atravessa o portal e começa a atacar a cidade, aparentemente em busca de Meicoomon - que segundo teorias de fóruns, teria uma versão maligna relacionada com o vírus, o que faz sentido, considerando que Alphamon é um dos Royal Kings, que tende a manter a ordem e justiça inescrupulosamente, ou talvez esteja simplesmente agindo devido a infecção. Afinal, por que teria destruído os adventures 02?! São muitas perguntas que só serão respondidas nas continuações.
digimon tri vírus

Matt e Tai se unem, MetalGarurumon e WarGreymon formam Omegamon - o que não entendi, já que supostamente eles não poderiam avançar da forma de campeão -, mas a despeito disso, o duelo entre os titãs é muito bem animada, com cortes fluidos e um traço constante, a TOEI que recentemente destruiu infâncias com a irregularidade de Saint Seya: Soul of Gold e Dragon Ball Super, repassou o anime para outro estúdio, não tendo se envolvido em sua produção. Um grande alento, na verdade. A empresa utiliza de grandes franquias com renome internacional para lucrar, mas quase nunca respeitando o material original e os fãs. Esse aparente descaso com Digimon(que ao meu ver, é devido a pouca fama do anime no Japão, já que grande parte de seu sucesso se deve ao ocidente) trouxe apenas benefícios.

Não que a qualidade da animação tenha sido louvável ou exemplar, sendo, por exemplo, aquém ao do longínquo filme de 2000, mas não é problemática o suficiente para incitar revoltas, como no caso da nova produção dos guerreiros Z.

O maior revés fica com o inexplicável fato das criaturas não falarem os poderes ao os lançarem. Apesar de ser áudio em japonês, senti fala de ler um "bafo de pimenta", "chama neném" e afins. Espero que corrijam.
omegamon digimon tri
Omegamon surgindo ao estilo Evangelion.
tai digimon tri namorada
Meiko Mochizuki, nova digiescolhida e potencial par romântico de Tai, com Meicoomon.

Ao fim de seus curtos 4 capítulos, fica a certeza de que a saudade ainda não foi sanada, e apesar de todos os pequenos erros já citados, rever essas figuras que desempenharam papel tão importante na infância, não tem preço. A abordagem mais madura e focando na interação e amizade foi certeira, pois Digimon não é ação desenfreada como muitos do gênero, é conteúdo também. Agora, resta esperar o lançamento da próxima OVA, que está prevista para dia 12 de Março de 2016, intitulada Ketsui/Determinação.
tai agumon digimon tri


Ao menos dessa vez, é um até logo!