Os Atores Mais Subestimados da Atualidade - Parte 1

9/07/2015 0 Comments A+ a-

Você conhece os grandes atores por trás dos personagens?

Um dos longas mais aclamados até aqui no festival de cinema de Veneza em 2015 foi Spotlight, cuja sinopse é baseada em uma história real, onde jornalistas de Boston reúnem milhares de documentos capazes de provar vários casos de abuso infantil causados por padres católicos. Em meio a um elenco estelar(Mark Ruffalo, Rachel McAdams, Liev Schreiber..), quem acabou recebendo os maiores elogios é um velho novo ator: Michael Keaton. O veterano Batman, que renasceu das cinzas ano passado em "Birdman", parece realmente disposto a recomeçar, não tornando a película de Iñarritu uma exceção em sua outrora decadente carreira.

Esse renascimento me pôs a pensar sobre tantos atores/atrizes talentosos que vivem no ostracismo, até participando de bons filmes, mas de pouco acesso, ou confinados a interpretarem sempre um único personagem, incapazes de revelar ao mundo alguma versatilidade.

1 -Seann William Scott

Como assim o Steven Stifler é um ator subestimado? É o que você deve estar pensando, mas é um fato. A verdade é que apesar de American Pie ter sido o responsável por alavancar sua carreira, também acabou sentenciando Seann a se tornar um character actor de comédias bobas. Com exceção ao longínquo "Premonição, 2000", a filmografia do ator é preenchida de comédias como "Cara, Cadê Meu Carro, 2000", "Os Gatões, 2005" e "Faça o Que Eu Digo, Não Faça o Que Eu Faço, 2008". Até quando se aventura em películas de ação como "Bem-Vindo à Selva, 2003" e "O Monge à Prova de Balas, 2003", acaba interpretando personagens cômicos e imbecis.

Nos últimos anos, Seann tem participando de poucos filmes, incluindo obras diretamente para TV e sua dublagem de Crash, na franquia Era do Gelo. Entretanto, em duas películas em particular, Scott mostrou algo que não sabíamos sobre ele; um dote dramático. Em "Goon(2011)", vive um jogador de hóquei violento, e apesar de ser uma comédia declarada, sua composição confere um ar de ingenuidade e melancolia que tornam o personagem cativante. Ano passado, em "Just Before I Go", o debut da eterna friend Courteney Cox na direção, foi quando Scott mostrou que não deve ser considerado um ator limitado a comédias. É uma obra leve e muitas vezes clichê, mas que lida com um tema pesado: o suicídio. A atuação de Seann é surpreendente, a forma como seus olhares demonstram a tristeza do protagonista é deveras competente, trazendo veracidade e simpatia a sua atuação, tudo isso aliado as suas habilidades para nos fazer rir, comedidas de maneira certeira.

Infelizmente, seu único projeto listado no Imdb é a continuação de Goon, prevista para 2016, mas com oportunidades certas, como foi com o saudoso Robin WilliamsSeann poderia se redescobrir como ator, e talvez nos brindar com ótimas interpretações para excelentes filmes.


2 - Viggo Mortensen

O veterano e premiado ator é um rosto conhecido do grande público, tendo participado da laureada trilogia "O Senhor dos Anéis", de Peter Jackson, mas sua carreira vai muito além disso: versátil e poliglota(além do inglês, é fluente em dinamarquês, francês e espanhol) já trabalhou com diversos diretores consagrados, como Cronenberg, com quem fez 3 filmes, incluindo o que lhe rendeu sua única indicação ao Oscar; "Eastern Promises, 2007", e já foi até o diabo em "Anjos Rebeldes, 1995".

Porém, tem sido cada vez mais difícil ver o ator por aí, já que apesar de continuar atuando, o faz em filmes de pouca divulgação ou acesso, muitas vezes obras estrangeiras. São bons longas e com excelentes atuações de Viggo, mas que não chegam ao grande público.O ator é um raro exemplo de profissional que prioriza sua integridade artística ao dinheiro, tendo recusado participar da trilogia "O Hobbit", já que Aragorn não está no livro, também é o fundador da Perceval Press, por onde lança poesias, músicas, fotografias e livros de sua autoria e outros artistas independentes.

Apesar dessa veia cult, ele afirmou não ter fechado as portas aos filmes de grande visibilidade, apenas que prefere aceitar projetos com o qual se sente bem e confortável, o que não parece ser o caso dos longas de herói, sendo Viggo um crítico do excesso de CGI

A reclusão parece ser voluntária, mas se ator já se mostrou apto a participar de películas maiores, fica implícito que faltam oportunidades. Uma pena para o público, que perde de ver um dos melhores profissionais de sua geração em tela.

3 - Nikolaj Coster-Waldau

Jaime Lannister itself! O dinamarquês ficou conhecido após interpretar o regicida em Game of Thrones, mas sua carreira teve início ainda nos anos 90, tendo, no período pré-GOT, participado de longas como "Cruzada, 2005" e "Falcão Negro em Perigo, 2001", ambos de Ridley Scott. Entretanto, tanto nesses quanto em seus outros projetos, quase sempre era relegado a papéis coadjuvantes.

Game of Thrones deu um impulso em sua carreira, porém, não como seria de se imaginar, pois ainda não teve nenhum papel de grande impacto ou exigência dramática. Em Hollywood, foi coadjuvante de Tom Cruise em "Oblivion, 2013" e de Cameron Diaz em "Mulheres ao Ataque, 2014". Se aventurou também no gênero terror, na adaptação de "Mama, 2013", sem grande destaque.

O último filme que participou foi "Segunda Chance, 2014", coprodução entre Dinamarca e Suécia, qual interpreta um pai que perde seu filho, e no meio dessa situação, acaba tomando uma medida desesperada que acarretará severas consequências. Nicolaj teve mais roteiro para revelar seus dotes dramáticos, contudo, o longa cai muitas vezes no melodrama e obviedade, o que prejudica uma real dimensão de seu talento.

A verdade é que ninguém sabe de seu potencial, pois não tivemos a chance de vê-lo em um grande personagem, o certo é quando exigido, sempre foi competente e eficiente, tanto em dramas, quando em obras de ação e suspense, tornando frustrante as poucas vezes em que aparece nas grandes telas, deixando a impressão de que ainda tem muito a mostrar.

Como as participações de Jamie Lannister tem sido cada vez mais contundentes e interessantes, resta torcer para que o ator tenha a oportunidade de demonstrar melhor suas virtudes, e consequentemente estendê-las para a 7ª arte.


-


E pra você, quais são os atores que mereciam mais chances na indústria cinematográfica? Lembrando que está é a parte 1, pretendo escrever mais sobre outros atores e atrizes que não receberam as oportunidades certas para se destacar.